Itapuranga (GO), 1989. Vive e trabalha em Goiânia. Artista visual e pesquisador. Suas investigações artísticas estão centradas na imagem como escrita, na poética dos arquivos, suas montagens e apagamentos dos limites entre “documento” e “ficção”. Trabalha com audiovisual, objetos, instalação e fotografia, sem estabelecer hierarquias entre os meios. Nos últimos anos, mostrou trabalhos e colaborou com instituições como Museu de Arte Contemporânea de Goiás (MAC GO), Círculo de Artes Plásticas de Coimbra (Portugal), The Room Projects (França), Art Space BLECH for Contemporary Art (Alemanha) e Czong Institute for Contemporary Art (Coreia do Sul). Seu trabalho integra o acervo do Museu de Arte Contemporânea de Jataí (GO), da Pinacoteca Municipal Miguel Dutra (SP) e do Netherlands Institute for Sound and Vision (Holanda). Foi contemplado com o prêmio Rumos Itaú Cultural 2019-2020. Graduado em Audiovisual pela Universidade Estadual de Goiás, mestre em Arte e Cultura Visual pela Universidade Federal de Goiás e doutorando em Artes na Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

(english)

Itapuranga, Brazil, 1989. Lives and works in Goiânia, Brazil. Visual artist and researcher. His artistic investigations are centered on image as writing, on the poetics of archives, their montage and the erasure of limits between “document” and “fiction”. Benedito works on filmmaking, objects, installations and photography, without no hierarchies between media. In recent years, he collaborated with institutions such as the Museum of Contemporary Art of Goiás (MAC GO), the Circle of Plastic Arts of Coimbra (Portugal), The Room Projects (France), Art Space BLECH for Contemporary Art (Germany) and Czong Institute for Contemporary Art (South Korea). His work is part of the collection of the Contemporary Art Museum of Jataí (Brazil), the Pinacoteca Municipal Miguel Dutra São Paulo (Brazil) and the Netherlands Institute for Sound and Vision. Benedito was awarded the Rumos Itaú Cultural Award 2019-2020. He graduated in Filmmaking at the State University of Goiás, holds a Master’s Degree in Art and Visual Culture through the Federal University of Goiás and is a PhD student in Arts at the State University of Rio de Janeiro.

+

Escreveu e dirigiu os longas-metragens A Última Imagem (2020) e Granada, em fase de finalização. Realizou os curtas Eu já não caibo mais aqui (2009), O dia secreto (2015) e Algo do que fica (2017), esse último exibido em 19 estados do Brasil e premiado no Festival Internacional de Cinema Ambiental (FICA) e no Uranium Film Festival (Alemanha). Como diretor de arte e cenógrafo, assinou diversos projetos audiovisuais, tendo frequentemente colaborado com as produtoras Panaceia e Sertão Filmes e em produções exibidas na TV Globo, MTV Brasil e TV Cultura. Integrou as equipes de produção do Pirenópolis.Doc – Festival de Cinema Documentário Brasileiro e do Cinema Na Calçada, mostra ao ar livre que acontece desde 2012 no setor central de Goiânia.

Assinou a direção de arte e cenografia dos espetáculos Pitoresca (Cia Nu Escuro), A Caolha e Partidos (Cia Comfome) e foi colaborador de Deitar o Sal (Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna), conduzido por Sonia Mota em parceria com o grupo alemão TRANSFORMA.

Coordena o Vigília – Ateliê Dentro da Imagem, laboratório que abriga e acompanha processos de criação de jovens artistas residentes em Goiânia. É pesquisador vinculado ao Núcleo de Investigação em Direção de Arte Audiovisual (UFPE/CNPq). Atuou como professor substituto da Escola de Música e Artes Cênicas da Universidade Federal de Goiás, lecionando no bacharelado em Direção de Arte e nas licenciaturas em Teatro e Dança.